Arquivo da categoria: Machu Picchu

Machu Picchu : Viagem Adiada

Estava com tudo planejado para ir para o Peru agora em Setembro mas tive que adiar. Quero deixar claro que o terremoto não tem nada haver com isso, apesar de ter ficado assustado um pouco, as notícias dão conta que a região andina, onde está Machu Picchu , não sofreu qualquer impacto e que na capital peruana, Lima, apesar de alguns abalos este não estão impedindo o acesso de turistas a cidade. Os problemas estão concentrados no sul do país, no Departamento( Estado) de Ica.

Adiei a viagem porque estou mudando de residência e ficaria impossível organizar mudança e preparar viagem ao mesmo tempo, assim Machu Picchu ficará para 2008.

 

Anúncios

Terremoto no Peru

Cheguei em casa por agora e me deparo com a triste notícia no UOL :

“Um forte terremoto atingiu o Peru na noite desta quarta-feira (15), sacudindo prédios na capital, Lima, e causando cortes de energia em algumas áreas. Pelo menos 17 pessoas morreram e 70 ficaram feridas em uma região ao sul da capital, segundo a TV local.

O tremor, de magnitude 7,9 na escala Richter, atingiu o país às 18h40 (20h40 de Brasília). Anteriormente, o Serviço Geológico dos Estados Unidos havia informado uma magnitude de 7,5 graus. Ele foi seguido de pelo menos duas réplicas. “

Pelo visto a coisa foi muito séria, até um alerta de Tsunami no Pacífico Sul foi dado envolvendo além de Peru, Chile, Equador e Colômbia , vou tentar buscar mais informações, se algum visitante estiver no Peru ou tiver mais informações pode ficar a vontade e colocar o que sabe na caixa de comentários.

Por enquanto pelo que consegui apurar, o Terremoto atingiu somente o litoral peruano, especificamente a região sul.Já se sabe que Lima, a capital, foi severamente atingida. Também as cidades litorâneas de Pisco, Ica e Paracas, foram afetadas, estas cidades fazem parte da rota que leva às Linhas de Nasca. A Reserva Nacional de Paracas, outro ponto turístico de interesse, também sofreu com o abalo.

Oficialmente, a região dos andes, onde está Machu Picchu, não sofreu com os abalos, embora eu tenha recebido relatos de pessoas que estão em Cusco e que sentiram os tremores e que receberam alertas para que desocupassem os quartos de hotel.

O alerta de Tsunami já foi descartado pelas autoridades peruanas. Nas cidades atingidas foi decretado estado de emergência e podem ocorrer mais tremores, diversas regiões de Lima e do sul do país registraram cortes de fornecimento de energia e comunicações. O Tráfico aéreo no Aeroporto Jorge Chaves, em Lima, está suspenso.

Um Pouco Mais Sobre Machu Picchu : O Meu Projeto de Roteiro

Como não disponho do tempo e da energia dos mochileiros optei por chegar a Machu Picchu de avião por Lima. De lá seguirei para Cusco também de avião, depois a proposta é seguir para uma das cidades do Vale Sagrado dos Incas, provavelmente Ollantaytambo, depois seguir de trem até Águas Calientes, para finalmente chegarmos a Machu Picchu. Uma dúvida no meu roteiro é a cidade de Puno, as margens do Lago Titicaca, o tempo de viagem e a disposição da minha companheira é que vão determinar a inclusão desta cidade no meu roteiro, só temos 10 dias disponíveis e talvez tudo isso fique um pouco apertado.

Lima

carlos-sala_001.jpg

Lima foi fundada em 1535 e em pouco tempo converteu-se na cidade mais importante da América. Hoje com mais de 8 milhões de habitantes, acolhe imigrantes de todas as partes do mundo, o que a converteu numa cidade mestiça por excelência. No centro histórico, declarado Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO, podem ser observadas esplêndidas amostras da arquitetura colonial como a Catedral, o Convento de Santo Domingo e o Convento de San Francisco, assim como lindas sacadas talhadas em madeira. Lima também é uma fonte inesgotável de cultura, amostra disso é a existência de uma enorme quantidade e variedade de Museus como, por exemplo, o Museu Nacional de Arqueologia, Antropologia e História e o Museu Arqueológico Rafael Larco Herrera que albergam tesouros incas e pré-incas de um incalculável valor.

Situados no meio da cidade aparecem imponentes monumentos arqueológicos como a Huaca Huallamarca ou a Huaca Pucllana; e no interior de Lima e frente ao mar, está Pachacámac, o santuário pré-inca mais importante da costa, construído no século III d.C. Outro dos grandes atrativos da cidade são suas praias excelentes para praticar esportes aquáticos, desfrutar do sol, ou simplesmente, observar a beleza do Oceano Pacífico.

Durante este recorrido também poderá provar una das melhores gastronomias do mundo. A cidade oferece uma variada gama de restaurantes e acolhedores locais, onde poderá degustar de deliciosos pratos, resultado da mistura das cozinhas européia, africana e asiática com a andina.

Dicas sobre Lima

    • Não deixe de visitar O Shopping Larcomar Mall no bairro de Miraflores, tem várias boates dentro do shopping, além de lojas, cinemas, teatro.
    • Não deixe de visitar o bairro de Barranco e a região da Calle Berlin
    • Prefira hospedagem nos Bairros de San Isidro, Barranco e Miraflores, as margens do Oceano Pacifico, bairros de classe média, uma espécie de Zona Sul do Rio de Janeiro, com bons hotéis, restaurantes, boates e comércio.
    • Lima é um importante centro gastronômico, procure um restaurante de comida típica, experimente o ceviche, os diversos tipos de milho e de batata e não esqueça do Pisco Sour
    • No centro histórico visite o Barrio Chino e coma num Chifa, restaurante chinês com forte influência andina.
    • Conheça a Plaza de Toros, a terceira mais antiga do mundo.
    • Visite o Parque do Amor no bairro de Miraflores, um espaço romântico com vista para o Oceano Pacífico.

Cusco

3826.jpg

A cidade de Cusco, antiga capital do império incaico, foi declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO em 1983 e sem dúvida é um dos destinos mais importantes do país. Entre suas ruas de pedras encontram-se edifícios de construção inca, como o Koricancha e o Palácio de Inca Roca, junto com construções coloniais de estilo barroco andino, como a Catedral e a igreja da Companhia; além disso, pode ser visitado o pitoresco bairro de San Blas, onde estão os ateliês dos melhores artesãos do departamento. Esta mágica cidade também conta com uma excitante vida noturna e com cafés, restaurantes e bares para todos os gostos.

A dez minutos da cidade levantam-se as gigantescas muralhas da fortaleza de Sacsayhuamán. Uns quilômetros mais, estão os sítios arqueológicos de Qenko, Pukapukara e Tambomachay, construções incas edificadas totalmente em pedra.

Dicas sobre Cusco

  • Fique o máximo que puder em Cusco, a capital cultural e turística do Peru, não falta atração de ruínas a museus.
  • Compre o Boleto Turístico que dá acesso a 16 lugares históricos, entre ruínas e museus.
  • Não deixe de visitar as ruínas que ficam ao redor de Cusco: Tambomachay: conjunto de fontes a poucos quilômetros de Cuzco. Segundo historiadores, teria servido de banho para um dos imperadores incas; Pukapukara: conjunto de corredores subterrâneos com mesas de sacrifício onde os incas matavam lhamas para oferecer ao Deus Sol (Viracocha); e Sacsayhuamán, que fica a uns 10 km do centro.
  • Reserve uma noite para as baladas e conheça: Mama África, o bar mochileiro de Cuzco. Pois é lá que se encontram os mais animados viajantes que passam por Machu Picchu.
  • Em Cuzco as atrações se concentram na Plaza de Armas, os museus, as igrejas, o comércio, e a noite local. Os bares simplesmente caçam os turistas na Rua oferecendo entradas gratuitas com direito a drink de cortesia.
  • Se quiser um pouco mais de sossego evite os hotéis muito próximos a Plaza de Armas.
  • Não deixe de experimentar a Inka Cola é um refrigerante originalmente peruano, e por conseqüência o mais consumido no país., e prove a cerveja Cusquenã.
  • Não deixe de visitar o Koricancha, o palácio Inca transformado em Igreja a Santo Domingo pelos espanhóis.
  • Vá conhecer a pedra de 12 ângulos
  • Não deixe visitar as Igrejas e os Museus de Cusco.

O Vale Sagrado dos Incas

0818.jpg

O Vale Sagrado dos Incas, trata-se de uma série de povoados localizados à nordeste de Cusco distantes cerca de 100 KM. Lá se espalham algumas cidades com ruínas de santuários e fortalezas construídas com gigantescas pedras. Essa é umas das partes mais importantes da viagem e não pode ser perdida. Paisagens espetaculares com vales e aldeias rodeadas de plantação em terraço. As principais cidades são: Pisac, Yucay, Chinchero e Ollantaytambo.

Dicas sobre o Vale Sagrado

  • Se programe para dormir uma noite no Vale Sagrado e de lá seguir para Águas Calientes, cidade próxima às ruínas de Machu Picchu. Dormir no Valle Sagrado vai fazer você ganhar tempo, pois já é a metade do caminho.
  • Durma em Ollantaytambo porque tem uma boa infra-estrutura, o povoado é bem servido de hotéis e restaurante, também é a cidade mais próxima de Águas Calientes, além do mais, possui estação de trem que leva para Machu Picchu.
  • Pegue o Trem na estação de Ollantaytambo, a passagem sai mais barato
  • Conheça o Mercado Indígena de Pisac, uma referência para quem gosta de artesanato. Só fique atento pois o mercado só funciona aos domingos, as terças e quintas-feiras.

Águas Calientes

Porta de entrada para Machu Picchu, servindo de base para os turistas que chegam até a cidadela, sem ter nenhum atrativo turístico relevante a não ser as suas águas termais. É Nesta cidade que ficam os hotéis para quem pretende ficar perto de Machu Picchu, o comercio e restaurantes. Machu Picchu mesmo é somente ruína, perto da cidadela fica um Hotel 5 Estrelas, O Machu Picchu Sanctuary Lodge, da rede Orient Express, a diária neste hotel custa à bagatela de U$ 700,00, coisa para gente muita rica.

Em águas calientes fica a estação ferroviária de onde chegam as pessoas vindas de Cusco e do Vale Sagrado, de lá se pega Ônibus até a entrada das ruínas.

Machu Picchu

slideimg6.jpeg

O enigmático complexo de Machu Picchu, o mais importante e extraordinário legado dos antigos peruanos, é parte do Santuário Histórico do mesmo nome, o qual é um dos poucos lugares da América, declarado Patrimônio tanto Cultural como Natural da Humanidade pela UNESCO.

A cidadela de Machu Picchu é o mais importante dos atrativos turísticos de Cusco. Descoberta em 1911 pelo explorador norte americano Hiram Bingham, esta cidadela é considerada uma das mais extraordinárias mostras de arquitetura paisagística do mundo.

Machu Picchu (em quechua, ‘montanha velha’), está encravada encima de uma montanha que domina o vale do rio Urubamba, em plena selva tropical, constituía como centro de culto e observação astronômica e fazenda privada da família do Inca Pachacútec.

Consta de duas grandes áreas: uma agrícola, formada principalmente por escadarias e recintos de armazenagem de alimentos; e outra urbana, na qual destaca a zona sagrada, com templos, praças e mausoléus reais trabalhados com um incrível nível de perfeição. As escadas e canais de pedra são uma constante ao longo deste singular sítio arqueológico. Frente à cidadela eleva-se o Huayna Picchu aonde se pode chegar por um empinado caminho de pedra.

Veja aqui um site com visão panorâmica de machu Picchu

O Caminho Inca

A maioria dos turistas viaja a Machu Picchu da forma tradicional, ou seja, vão de trem até o povoado de Águas Calientes e de lá pegam um micro ônibus até Machu Picchu. O Caminho Inca é indicado somente para aqueles que estão em boa forma física e dispostos a acampar um ou três dias nas montanhas. De um modo ou de outro, o ponto de partida para todos é Cuzco.

O Caminho Inca é uma trilha que atravessa as montanhas acima do rio Urubamba no Peru, seguindo o curso de uma antiga estrada Inca que leva até a cidade de Machu Picchu. É uma das rotas de trekking mais famosas do mundo, pela conjunção de intrigantes ruínas com as espetaculares paisagens que oferece ao viajante durante os dias de caminhada.

Existem várias opções de trilhas na região que levam a Machu Picchu. Geralmente se faz o trajeto em 4 dias e 3 noites que é o chamado Caminho Inca clássico, mas além deste existem outras opções. A maioria dos trekkers faz o Caminho Inca clássico que percorre a trilha em quatro dias até Machu Picchu. A distância a partir do Km 88 da ferrovia, de onde partem os mochileiros, é de 36 Km. Parece pouco, mas lembre-se de que a maior parte é de subidas desgastantes acima de 3000 metros de altitude.

Para fazer a trilha inca é necessário contratar serviços de guias cadastrados. O Caminho é controlado pelo Ministério da Cultura do Peru, a exigência de guias cadastrados é uma necessidade para a preservação das ruínas e do caminho.

A trilha Inca, tem limite de pessoas, 500 por dia, por passarem em uma parte que é preservada. Ha outras trilhas, das trilhas alternativas a mais conhecida é a Salkantay, que não sofre controle do governo e nem há necessidade de guias cadastrados. Contudo as trilhas alternativas são de cunho esportivo ou de apreciação da natureza. A trilha de cunho cultural é a Inca Clássica pois somente nela é que há ruínas.

Para quem quiser fazer O Caminho Inca tem que ficar atento para o mês de fevereiro, pois o caminho é fechado durante este mês,todos os anos. Fevereiro é um dos meses que mais chove na região andina e o governo peruano aproveita para fechar a trilha para que dessa forma a natureza possa se recompor um pouco do desgaste provocado pelo fluxo de viajantes. Contudo as trilhas alternativas continuam a ser usadas por aqueles que viajam neste mês. Apesar de ser proibido o tráfego pela trilha Inca, o Sítio histórico de Machu Picchu continua aberto aos visitantes.

Dicas sobre Machu Picchu

  • Existe um carimbo com o desenho de MP e na saída do parque, você pode pedir para carimbarem no seu passaporte. Antes de sair, do lado direito tem o local onde carimbam o passaporte. É uma grande recordação para quem chegou até lá.
  • se programe para dormir em Águas Calientes no dia da chegada e subir no outro dia, pela manhã sem guia, assim você aproveita bastante o tempo e pode ficar até a hora de descer para almoçar com calma e depois pegar o trem de volta para Cusco as 16:00,
  • Vindo de trem de Cusco ou Ollantaytambo, prefira o trem Vistadome, este o teto é todo de vidro e se tem uma visão de toda a paisagem, é mais caro, mas vale a pena.
  • Suba bem cedo, os ônibus partem para as ruínas a partir das 6 horas, e o Parque abre as 7 h. Às 11 horas chega a galera do trem das 10 e as ruínas ficam lotadas., sem espaço até para fotos
  • Reserve um tempo para subir o Huayna Picchu, que é uma montanha alta onde se pode ver toda a cidadela, dizem que a visão é fantástica, o acesso à montanha é controlado e a trilha leva 1 hora.
  • O ideal é se programar para ficar 2 dias em Águas Calientes, assim você pode ficar em Machu Picchu até o fim do dia sem aqueles grupos barulhentos de turistas.
  • Madrugue, faça um esforço para ver o sol nascer em machu Picchu.
  • Providencie botas de trekking ou um tênis bastante confortável e amaciado, mesmo que você não faça a trilha, pois são muitos dias visitando ruínas com piso irregular de pedra
  • Se for fazer a trilha Inca, lembre-se que o acesso é controlado pelo governo peruano, a contratação de guias cadastrados é obrigatória. È proibido acampar na trilha a não ser que seja através dos serviços dos guias cadastrados.

Puno

slideimg8.jpeg

Puno foi sede da cultura Tiahuanaco (800 a 1200 d.C.), máxima expressão do povo Aymara, que se desenvolveu na fronteira onde hoje é Peru e Bolívia; os Incas estiveram no território no século XV e os espanhóis deixaram um importante legado colonial em toda a região, atraídos pela atividade mineira que se desenvolveu no lugar.

A cidade de Puno (3827 m de altitude) é base peruana para acesso ao Lago Titicaca, o lago navegável mais alto do mundo. Os arredores são espetaculares destacando as Chullpas de Sillustani, com seu conjunto de imponentes torres funerárias.

O lago alberga também diversas ilhas, cujos habitantes preservaram ancestrais costumes e tradições. Um exemplo disso são os Uros, que vivem nas “ilhas flutuantes” fabricadas artificialmente com totora, uma espécie de junco, e que navegam pela região nas suas tradicionais embarcações também de totora.

As ilhas Taquile, Suasi e Amantaní são conhecidas pela amabilidade de seus moradores e pelas ancestrais técnicas de tecido, suas construções pré-colombinas e maravilhosas paisagens.

Obs: As fotos sobre esta série sobre Machu Picchu, foram retiradas dos sites de órgãos governamentais peruanos voltados ao turismo.

Próximo Destino : Machu Picchu

slideimg6.jpeg

Como alguns amigos já sabe faz um bom tempo que eu venho planejando uma viagem a Machu Picchu no Peru. Este é um destino que eu venho perseguindo desde muito tempo, ainda na Universidade ao assistir algumas reportagens na TV e documentários, ouvindo os depoimentos de alguns colegas universitários contando os perrengues e aventuras no caminho, o lendário trem da morte, a ameaça dos guerrilheiros e dos narcotraficantes. O nosso continente se transformou e estas antigas ameaças foram afastadas.

Em 2005, motivado pelo excelente filme do Walter Sales “Os Diários de Motocicleta” e pela exposição “ Soy Louco Por Ti América” no CCBB, fiquei mais interessado em conhecer todos aqueles lugares. O acesso a internet permitiu que eu iniciasse as minhas primeiras pesquisas.

Através da comunidade MACHU PICCHU BRASIL , no Orkut, obtive conhecimento de diversas fontes de informação : sites, blogs, guias de viagem, outras comunidades que se formavam no Orkut; troquei muita informação com gente que fui conhecendo neste período, trocava e-mail, trocava mensagens, conversava no MSN, recebia informações, roteiros. As pessoas são muito solidárias e acabam te ajudando muito.

Depois disso comecei a ler guias de viagens, comprei três, um exagero, mas neste caso confesso que foi por pura obsessão. Por indicação das pessoas que conheci na internet, comprei o Guia criativo para o viajante independente na América do Sul, do Zizo Asnis & Os Viajantes, achei muito voltado para o mochileiro e como ele é um guia voltado para todo o continente achei que encontraria informações mais específicas comprando guias voltados especificamente para o Peru, nas livrarias encontrei : O Guia do Turista Brasileiro – Peru e Bolívia, Editora Conteúdo; e o Rogh Guide – Peru, Publifolha. Ambos são muito bons e se completam, mas compre somente um deles que é mais que necessário.

Ao ter acesso a todas essas fontes descobri que o Peru não é só Machu Picchu, existe na realidade uma infinidade de outros lugares para serem visitados. Além do mais descobri a Bolívia, um país belíssimo que é pouco divulgado no Brasil, com um potencial turístico inexplorado por conta da pobreza, falta de infraestrutura e radicalismo político.

 

Machu Picchu é um destino que tanto pode ser realizado por aventureiros e mochileiros, como também por turistas convencionais. Pode-se gastar muito, em hotéis 5 estrelas e trens de luxo, como também economizar ao extremo dormindo em albergues e ir andando pelos trilhos do trem, o mais importante é que não se deixe de viajar até lá.

A minha proposta aqui é traçar um caminho das pedras para quem também deseja conhecer esta maravilha do mundo, repassar as dicas que fui colhendo durante toda esta minha trajetória, do colhimento de informações até a elaboração do roteiro, para finalmente relatar aqui toda a experiência que viverei quando chegar até lá. Como é muita informação, vou postando aos poucos na medida em que for reunindo todo o material que disponho.

Sites com informações sobre o Peru e a viagem :

http://www.peru.info/peruptg.asp

http://www.promperu.gob.pe/index.asp

http://www.inc-cusco.gob.pe/

http://www.enjoyperu.com/portugues/principal/index-p.html

http://www.cusco.net/

Além desses sites, outra boa fonte de informação são os blogs dos amigos que já foram, todos os que recomendo estão listado nas abas laterais deste blog.

O que é preciso antes : Passaporte, Vacinas e Visto.

  • · Providencie o seu Passaporte, se não tiver o seu procure O Departamento de Policia Federal no seu Estado. Você deverá levar seu passaporte caso pretenda viajar ao Peru e a qualquer outro país do mundo. Existe um acordo entre vários países da América Latina para que a carteira de identidade local seja aceita em outros países também, mas na prática isso não funciona e poderá lhe causar grandes aborrecimentos. Portanto, não viaje sem o seu passaporte.
  • · Para entrar no Peru não há necessidade de visto prévio, portanto, não é necessário ir ao consulado ou pagar qualquer taxa. Existe um acordo entre o Brasil e todos os outros países da América do Sul, com exceção das duas Guianas, para dispensa de visto a todos aqueles que estão em viagem de turismo, mas mesmo assim você terá que parar nos postos fronteiriços para carimbar seu passaporte com a data de entrada ou saída do país por onde estiver viajando.
  • · Tomar vacina contra Febre-Amarela, no mínimo dez dias antes de viajar, que é tempo que vacina começa a fazer efeito, este prazo deve ser seguido à risca, senão você corre o risco de ser barrado na fronteira.
  • · A vacina pode ser tomada em qualquer posto de saúde, porém você deve retirar o Certificado Internacional de Vacinação em um dos postos da Anvisa, acesse o site e veja se a sua cidade faz parte da relação,quem emite o Certificado também aplica a vacina. Se a sua cidade não tiver posto da Anvisa, você deverá tomar a vacina em um posto de saúde da sua cidade e pedir para emitir a carteira nacional de vacinação com o numero do lote da vacina, munido deste documento você poderá efetuar a troca pelo certificado internacional em postos localizados nos aeroportos e postos de fronteira.

Cuidados com o Dinheiro e Dicas de Segurança

  • · Faça as suas trocas em casas de câmbio e bancos, seda a tentação e assédio dos ambulantes em aeroportos, rodoviárias e praças, você corre o risco de ser ludibriado, receber notas falsas e ser assaltado.
  • · Não aceite notas rasgadas e sujas pois dentro do Peru eles não aceitam dólares assim, prefira notas limpas e novas, a falsificação é freqüente
  • · Notas de 1 dólar tem cotação inferior (dólar=3,47 soles / no caso de nota de 1 dólar = 2,9..soles) a regra é louca mas é assim que eles procedem, por isso prefira realizar grandes trocas.
  • · Evite notas de U$ 100, eles têm uma certa implicância com notas desse valor, principalmente com a série CB, pois houve uma enorme falsificação de notas dessa série no Peru, se não verificar você terá dificuldade de trocar.
  • · No Peru, tome cuidado com as cédulas de 10 soles e com as moedas de 1 sol. Confira as marcas “d’água” das cédulas. As moedas devem ser robustas e não podem apresentar sinais de desgaste. Se você receber dessas moedas, não vai conseguir passar para frente, pois ninguém vai recebê-las de volta.
  • · Não dê moral para policial que não estiver fardado, Na Bolívia e no Peru toda a policia usa uniforme muito parecido com o do nosso exercito, na cor verde e do exercito boliviano é camuflado, e geralmente estão em dupla
  • · Não existe polícia civil na Bolívia. Não aceite abordagens assim. saia fora e dê queixa. Só para esclarecer: A Polícia boliviana é nacional, tem uniforme verde, todo verde. O exército boliviano usa uniforme camuflado, sempre
  • · Tomar apenas táxi que tiver o taxímetro em cima
  • · Procurem táxis de cooperativas. Nos táxis comuns eles fazem lotação, pegando mais de um passageiro por corrida.
  • · Sem essa de colocar a doleira na cintura. Qualquer assaltante amador sabe onde procurar. Seja criativo.
  • · Não deixe todos os seus valores e documentos juntos. Separe o cartão de crédito da grana grossa e dos trocados que são usados a cada momento. No caso de cartão, tenha sempre o telefone da administradora para cancelar, dar queixa, etc.
  • · Tenha cuidado com o seu passaporte. O Passaporte brasileiro é muito visado por falsificadores internacionais, pois no Brasil vivem diversas etnias então qualquer um passa por brasileiro, oriental, árabe, negões, branquelos… além do mais o Brasil mantém relações diplomáticas com vários países do mundo não havendo portanto restrições para a entrada de brasileiros em muitos países.
  • · No aeroporto internacional de Lima, Peru, fiquem espertos com os sujeitos que se apresentam como agentes, na hora do check-in. Eles aparecem bem vestidos na fila dos passageiros e se identificam como funcionários das cias aéreas, do governo ou do aeroporto, só para confundir os passageiros. Imediatamente e com arrogância recolhem os passaportes e os bilhetes aéreos como se fosse uma inspeção policial. Em seguida mandam você aguardar e tomam seu lugar na fila. Caso você pergunte o porque daquele procedimento, ou se há algo errado em sua documentação, eles bronqueiam e ameaçam levar você para a segurança do aeroporto. Enfim, check-in realizado o tal agente explica que está tudo certo e pedem na cara dura alguns dólares para entregar o passaporte e o boarding pass. Cuidado, eles andam em inúmeras duplas e se comunicam em códigos próprios sinalizando com as mãos, piscadas de olhos e gírias. Agora também via celular. Ao ser abordado , o melhor é chamar os policiais uniformizados que rondam o aeroporto.
  • · Uma boa dica é fotografar ou escanear todos os seus documentos e cartões de crédito e enviar para o seu próprio e-mail, se ocorrer algum problema isso facilita na hora de tentar tira segunda via no consulado.
  • · Tenha em mãos o telefone e o endereço do consulado brasileiro no Peru.
  • · Não se borre. Tem muito turista por lá, até mulheres sozinhas. É só não dar chance ao azar

Planejamento de Viagem : Montando o Roteiro

Para se chegar a Machu Picchu se têm três opções básicas :

  • · Ir de avião para Lima, capital do Peru, e de lá seguir para Cusco de Avião (1 hora de viagem) ou ônibus ( 22 horas de viagem – dizem que a estrada é muito sinuosa e que se passa muito mal por conta da mudança brusca de altitude). A Capital peruana possui boas opções turísticas com bons restaurantes e museus. A opção por Lima também é boa para quem pretende combinar outros destinos turísticos no Peru como as linhas de Nasca, as Ilhas Balestras, Paracas, o Vale Del Colca, Puno, Trujillo. Este também é o roteiro de quem dispõe de pouco tempo, pois o avião acaba encurtando distancias.
  • · Pela Bolívia, de trem e ônibus, desde o Brasil até chegar à Machu Picchu. Este é o roteiro dos mochileiros, a Rota Clássica: da sua cidade você deve chegar até a fronteira do Brasil com a Bolívia na cidade de Corumbá, no estado do Mato Grosso do Sul, atravesse a fronteira e já na Bolívia na cidade de Porto Suarez pegue o lendário trem da morte até Santa Cruz de la Sierra , de lá já em ônibus para Cochabamba , depois La Paz , Copacabana, já na fronteira com o Peru ate´chegar a Puno, de puno vai-se de trem ou ônibus até- Cusco , para finalmente chegar a Machu Picchu. O Roteiro terrestre é longo e para alguns muito cansativo, pois se leva muito tempo atravessando a Bolívia e o Peru de ônibus, principalmente na Bolívia os ônibus são muito desconfortáveis, contudo a viagem é muito barata e as paisagens são belíssimas. Este o roteiro de quem dispõe de tempo, são no mínimo 15 dias para percorrer todas estas cidades de ônibus.
  • · De avião, pela Bolívia, roteiro do mochileiro mais endinheirado, as cidades de Santa Cruz de la Sierra e a capital, La Paz, possuem vôos para o Brasil. Esta é a opção de quem quer incluir a Bolívia no Roteiro, porém não quer perder tempo andando por muitas cidades de ônibus.

Companhias Aéreas no Peru :

Gol

Lan

TACA

Companhias Aéreas na Bolívia

Gol ( Santa Cruz de La Sierra )

LAB

Melhor Época Para Ir A Machu Picchu

  • · A melhor época para visitar Machu Picchu vai de maio a agosto, no inverno. As temperaturas são bem mais baixas, mas não chove tanto como nos outros meses do ano. Logicamente são os meses em que todo mundo costuma ir, tudo fica mais caro, e as atrações lotadas, em virtude da presença dos turistas norte-americanos e europeus
  • · Ir fora de temporada, de setembro a novembro, pode ser uma boa opção
  • · Evite o verão, época de chuvas.

O Mal da Altitude.

  • · Machu Picchu fica a mais de 3.000 m de altitude,o nível de oxigênio no ar é baixo é pode causar um mal estar , que os peruanos chamam de soroche, ocasionando falta de ar, dor de cabeça, náuseas, fadiga. È muito importante que se faça uma adaptação para se chegar bem em Cusco;
  • · Ainda no Brasil, vá ao Médico, converse com ele sobre as conseqüências do mal da altitude, tire dúvidas e não há algum impedimento para que você viaje para lugares sobre influência da altitude.
  • · No primeiro dia que chegar em Cusco, reserve para descanso e adaptação, faça passeios leves, evite alimentos pesados e gordurosos, evite o álcool e cuide do seu sono
  • · Nas farmácias peruanas compre as Soroche Pills, esse remédio é recomendo para aliviar os efeitos do mal de altitude, os mais escolados recomendam que você comece a tomar 3 dias antes de chegar a Cusco
  • · Quem vai por terra costuma sofrer menos os efeitos da altitude pois o organismo vai se adaptando aos pouco com altitude
  • · Compra chá de coca.. e tome quando não se sentir bem.. faz bem pro metabolismo. O chá de coca ao contrário da cocaína não é alucinógeno, dizem que é muito parecido com o chá mate dos gaúchos.
  • · Outra solução é mascar as folhas de coca, também aliviam nos efeitos do soroche. Dizem que dá uma leve dormência nos lábios.
  • · Não trazer folhas ou chá de coca industrializado para o Brasil, a lei federal nº 6368/76 proíbe a introdução de chá ou folha de coca em território brasileiro.

Hospedagem

Este é o item em que eu tive mais dúvidas, principalmente porque as minhas fontes de informações foram todas com mochileiros, mesmo assim pesquisei bastante , além do Trip Advisor acabei descobrindo outros sites que fazem cotações de hotéis. Como não tenho indicações, não farei recomendações, também não fiz ainda as minhas escolhas. Contudo, deixarei aqui uma relação de sites para quem quiser fazer as suas consultas.

www.reservations.bookhostels.com/mochilabrasil.com.br

http://www.peru-travel.info/

http://www.masitravel.com/destinos/guiahoteis.htm

Sites de Redes de Hotéis Peruanas :

http://www.libertador.com.pe/eng/index.htm

http://www.casa-andina.com/hoteles_peru/es_bb.php

http://www.sonesta.com/corporate/south-america.asp

http://www.hotelessanagustin.com.pe/

Pacotes de Viagem

Não tenho indicações nesta área, minhas fontes foram o google, reportagens em revistas e suplementos de viagem dos jornais e propaganda de agências de viagem. Prefiro que cada um escolha a agência de sua preferência. Neste item não há caminho das pedras. O Pacote Turístico te oferece praticidade, mas ao mesmo tempo te limita. Terei companhia feminina na minha viagem e ela prefere que seja desta forma, chegamos a um consenso e agora estamos realizando as nossas escolhas